Você está aqui: Página Inicial / Brasília responde ofício de Câmara de Serra Nova Dourada sobre pavimentação de Contorno Leste

Brasília responde ofício de Câmara de Serra Nova Dourada sobre pavimentação de Contorno Leste

por Elson Faria publicado 13/09/2019 14h50, última modificação 13/09/2019 15h00
Colaboradores: FONTE: Semana 7/ Kayc Alves
Norte Araguaia ainda aguarda impasse da BR-158, que já teve até lote licitado pelo contorno à reserva.
Brasília responde ofício de Câmara de Serra Nova Dourada sobre pavimentação de Contorno Leste

BR-158

BR-158

O governo federal respondeu, há alguns dias, um ofício do presidente do Legislativo Elson Farias de Sousa (PP) e do vereador Evaldo Carlos Ramalho (PSDB), de Serra Nova Dourada, sobre a situação do projeto de pavimentação do Contorno Leste, na BR-158. Segundo o documento, um de dois lotes da obra, já licitado, teve o certame interrompido. Para o outro, não há previsão de quando ocorrerá licitação.    

O esclarecimento foi encaminhado pela sede do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) ao Ministério de Infraestrutura, e reportado, no dia 21 de agosto, à Câmara de Serra Nova Dourada. O documento destaca a situação do lote A e B de um trecho de quase 200 km, entre as localidades de Alô Brasil e Posto Luisinho, pelo traçado que contorna a reserva indígena Marãiwatsédé.    

De acordo com as informações do Dnit, embora já licitado, o trecho de 93 km do lote A ainda não pode ser executado, pois uma construtora inabilitada no certame ingressou com recursos. O caso já passou pela Justiça e agora se encontra no Tribunal de Contas da União, que determinou a interrupção do processo licitatório, até o julgamento do mérito do caso.    

Já quanto ao Lote B, o Dnit ainda não assumiu “o interesse em prosseguir com o certame”, tento em vista a “inexistência de recursos para o exercício de 2019.”    

Segundo o documento, a questão indígena é outro entrave. O Dnit já solicitou a elaboração de um Plano Anual de Trabalho e Orçamento (PATO) para atender as demandas dos indígenas de Marãiwatsédé. Mas para que o PATO seja realizado, o órgão afirma aguardar autorização por parte da Funai, para que dê permissão a entrada e permanência das equipes na terra indígena.    

Quando concluída, a pavimentação do contorno deve beneficiar cidades como Serra Nova Dourada, Alto Boa Vista e Bom Jesus do Araguaia, que passarão a serem cortadas pela BR. Até lá, a rota mais comum de acesso ao extremo norte é por dentro da reserva indígena.    

Na região e em Brasília, ainda não há unanimidade quanto à definição de que a 158 passe pelo Contorno Leste. O próprio ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes, em evento em Água Boa, no mês de junho, defendeu que a rodovia deve seguir seu percurso original, cortando Marãiwatsédé.    

Pelo contorno, o projeto está adiantado, com todas licenças ambientais emitidas e um lote já licitado. Mas quem defende o traçado original argumenta que a obra custaria menos.

error while rendering plone.comments

Acesso à Informação

Mídias Sociais

Facebook Twitter Linkedin Youtube Flickr

Rádio Legislativa
If your video does not start playing shortly, please ensure that you have JavaScript enabled and the latest version of Adobe Flash Player (http://www.adobe.com/products/flashplayer/) installed.
Audio Player
More…
Pesquisa de Opinião

Gostou do novo site?

Sim, gostei
Não gostei
Pode melhorar
spinner
Total de votos: 27
Pesquisar no BuscaLeg
Logotipo do BuscaLeg - Buscador Legislativo